Diabetes canino

Diabetes Mellitus Canino

A maioria dos cães diabéticos tem diabetes Mellitus tipo I, ou seja falta de produção de insulina em quantidade suficiente para o funcionamento do corpo. A insulina é uma hormona produzida pelo pâncreas.

A insulina permite que as células do corpo captem o açúcar (glucose) do sangue e possam utilizá-lo para o seu metabolismo e outras funções.

Existem dois tipos de Diabetes Mellitus.

A tipo I - quando o pâncreas não produz quantidade suficiente de insulina, e a tipo II - em que as células são incapazes de utilizar a insulina (resistência à insulina) ou quando o pâncreas ainda produz insulina mas em quantidade insuficiente para supri as necessidades do organismo.

A diabetes tipo I é a mais frequente no cão, e a diabetes tipo II é mais frequente nos humanos e nos gatos. Os cães diabéticos necessitam de tratamento com insulina para o resto das suas vidas, podendo desta maneira ter uma vida completamente feliz!

 

Sinais e sintomas de Diabetes

Os sinais mais frequentes são:

-Aumento do apetite

-Aumento do consumo de água  cao beber água

-Urinar excessivamente, podendo haver "acidentes"

-Perda de peso apesar do apetite

- Aparecimento de opacificação dos olhos (cataratas)

-Vómitos -Cansaço -Diminuição do apetite em casos descompensados -Desidratação


 catarata

Como se diagnostica diabetes?

Aquando da consulta com o seu médico veterinário, este pode, através dos sintomas suspeitar da presença de diabetes Mellitus. Para o confirmar poderá fazer algumas analises sanguíneas e de urina, que muitas vezes são rotineiras, para confirmar o excesso de açúcar no sangue (hiperglicemia) e presença de açúcar na urina (glicosuria). Podem ser necessários outros exames para despistar outras patologias ou alterações associadas a diabetes.

 medir glicemia

 

 

Após o diagnóstico e inicio de tratamento,  através da administração de insulina e de uma dieta adaptada, em conjunto com o seu médico veterinário será feito um acompanhamento do seu cão para garantir que a dose de insulina é a correta e que os sinais clínicos desaparecem.

É também de extrema importância, no caso das fêmeas, estas serem esterilizadas por forma a não haver oscilações hormonais que podem provocar resistências à insulina.

 

Se acha que o seu cão pode ter Diabetes não adie a consulta!